quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Eu sei que tu sentes. Estou farta de fingir ser quem não sou e não consigo escondê-lo de ti. Mesmo sem palavras. Mesmo à distância. Eu sei que é por isso que tu choras assim que me ouves. Sei que é por isso que me pedes para voltar. E eu minto. Que estou bem. Que não precisas de te preocupar. Que já falta pouco e tudo corre bem. E morro um bocadinho a cada passo. E digo para mim que não preciso. Mas só penso em vocês. Pertenço-vos. E queria gritar. Não posso. Queria pedir-te que me salvasses e chorar no teu colo como quando era menina e as brincadeiras parvas tinham as suas consequências. Mas não te posso magoar assim. Aguenta mais um pouco. Egoísmo meu, pedir-te o que não quero mais fazer.
Sabes? Hoje li sobre a inocência. Aquela da infância. Aquela anterior às cruéis descobertas sobre o mundo e as pessoas. E lembrei-me de ti. Das coisas que viveste. De como me avisaste. De como eu podia ignorar, porque tinha o teu colo ali e tu nunca deixarias que algo de mau acontecesse. Estou farta. E cada dia é mais difícil suportar. Eu sei que tu sofres da mesma ilusão. Aquela das pessoas que se habituaram a ver-nos no cimo dos nossos saltos altos. Aparentemente intocáveis. Mas hoje parece que não fui forjada do mesmo aço que o teu. Hoje, ter e perder é muito pior do que nunca ter tido. E queria o teu colo para chorar.


[help]

3 comentários:

Alfacinha disse...

:(
Incrível como podia ter sido eu a escrever o mesmo texto...
Também quero voltar.
Também quero um colo.
Também sinto que me faltam genes...
Sei que um dia tudo vai ser melhor e estes dias estarão longe...
Mas gostava de os alcançar, nem que só com a vista...

O Senhor disse...

Imagino...

Uma semana sem dove soft&silk deve ser complicada...

e sem os pantenes sabor a kiwis...

moça disse...

:P já comprei!!!