terça-feira, 27 de outubro de 2009

não

O reconhecimento profissional - pelo habitual e pelo esforço adicional. Não é.
O prazer de vos ver e abraçar sempre que quiser. Não é.
O espectáculo de um concerto ao vivo. Não é.
Fazer música. Não é.
Conduzir horas a fio. Não é.
Dançar até cair. Não é.
Fazer o caminho de casa e contemplar o meu rio. Não é.
Frequentar os melhores restaurantes da minha vida. Não é.


















O que me faz sorrir é aquele ficheirinho que mostra que se lembraram de mim e que me faz relembrar umas férias de sonho.
O que me faz sorrir é isto, quando tudo o resto me trai.



[snif]

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Here i go again...

Muito, muito ocupada, mesmo muito, só tenho tempo de vos dizer que estou palerma como nunca, já dizia o Germias [ou será Jeremias?, tudo é possível]... No fim-de-semana, Luanda vai ser alvo de um ataque palermóide, que isto de trabalhar muito põe-me assim! Portem-se bem mal e descompliquem! Estou viva e de saúde - física. Mental não, que estou prestes a fritar!
Está calor e chuva e fui!

Até já, cumá TMN. :)

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Vai um pesente?

Se estivesses aqui inventávamos uma surpresa qualquer e, apesar de todos trabalharmos durante o dia, de certeza que arranjávamos uma forma de este não ser um dia como os outros.
O almoço ficava a cargo da D. Florinda, que fazia um qualquer miminho da tua preferência, como carne estufada com arroz branco, ou peixe grelhado com esparguete... para matares saudades! Passávamos a tarde do costume, concentrados no trabalho e talvez passasses pelo ginásio. Ao final do dia, íamos ali à Contente. Encomendávamos, e comíamos em casa, Muqueca de Peixe e/ou Açorda de Marisco, e eu fazia coisos de chocolate. Provavelmente faria também outro bolo, um maior, que desse para colocar as velinhas para te cantarmos os parabéns. Na festa lá em casa, o J. tirava as fotos. Brincávamos com os stresses do dia, trocávamos ideias novas, viamos tê-vê, ou talvez um filme. O mai-munito tentava esquivar-se para o escritório, mas nós não deixávamos, e ligávamos o computador para a tua família te cantar os parabéns online, junto com noisis. Bebíamos Amarula e Gin Tónico. O mai-munito até se lembrava de trazer a Nespresso no fim-de-semana para termos o melhor café para o teu aniversário. O paizinho tentava descaradamente ficar com os créditos de algo que não fez anunciando "as coisas que nos proporciona". O JB. animava toda a gente com piadas perspicazes e ao fim de alguns copos, quando começássemos a mandar piadas, ele defendia-se respondendo a toda a gente "tu não me conheces!". Eu dava porrada no mai-munito (e levava mais do que dava) e o J. diria que eu gosto é de porrada.

Sei que aí será bem melhor, mas não consigo evitar uma pontinha de inveja por não podermos celebrar o teu dia contigo. PARABÉNS NANIÉ!!!

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

obrigada

Por me lerem tão bem. Por numa questão de minutos responderem às minhas parvoíces e me porem um sorriso na cara. Por se identificarem comigo e mostrarem que não estou sozinha, apesar de parecer, às vezes. Por me aturarem o mau feitio. Por assinarem comigo essa espécie de contrato. Por me mimarem quando eu preciso. Por me concederem esse privilégio de ser o meu dia de receber. Por me perdoarem os momentos em que eu falho (que não são poucos, e espero que perdoem mesmo... :S)

É muito cocó se eu escrever que espero MESMO que a vida vos dê o dobro da felicidade que desejo para mim? Se for, eu sou cocó anyway.... ainda que só de vez em quando...



[miss u...]

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

estou aqui!!!

Aqui mesmo! Não fugi, fui só ali a Luanda ganhar a lotaria e já voltei!
Nunca fui pessoa de jogar, mas desta vez perdi a cabeça... joguei 500usd e saiu-me uma prenda imensurável: sou saudável!
Depois da 5ª vez em repouso forçado, e decidida a que esta seja a última vez que o parasita me apanha, fui investigar a possibilidade de algum problema de saúde estar a provocar os sucessivos episódios de malária. E parece que não! Diz lá na folhinha de resultados que eu sou saudável, tal como seria de esperar de uma mocinha pucanina cuma ieu. Assim sendo, parece que o meu problema se reduz a um parasita safado que teima em resistir ao tratamento e a revisitar-me periodicamente, mas também parece que esta última dose de drogas foi potente, talvez até tenha sido letal! TOMA BANDIDO!!!
E ainda bem que não sofro mesmo de nadinha. Suponhamos que eu sofria do coração... tinha tido um piripaque no momento em que o senhor disse o preço dos mambos...

terça-feira, 6 de outubro de 2009

e vão cinco

Cheguei a pensar que não era desta. Convenci-me de que não ia poder contar cinco, pelo menos por enquanto. Mas afinal é verdade. 3 dias e 3 testes depois, afinal eram falsos negativos e os parasitas voltam a atacar!



sou mesmo um doce... a mosquitada não me larga...