terça-feira, 29 de setembro de 2009

actualização

... e a saga continua!

Valha-me nossa senhora da boa memória, que eu acho que estou a ficar com Alzheimer!
Se calhar até é melhor assim, porque ninguém pensa que é algo pessoal... eu consigo mesmo esquecer-me de todos!
Ontem foi a vez do douradinho ser esquecido por mim. Logo ele, que é o meu fornecedor de boa música preferido... shame on me devia ser o meu lema! Desculpa só, não foi por mal. Eu sei que as desculpas não se pedem, mas é o mínimo que posso fazer, por isso tenta lá perdoar e aceita os meus Parabéns atrasados e o desejo de que uma semana nada menos que excelente, para compensar...

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

What goes around, comes around

Sempre achei que o universo tem uma forma misteriosa de ajustar contas.
Não que ache que se faz justiça no final, ou que haja uma entidade provida de consciência moral, lá em cima, a fazer justiça por nós ao longo das nossas vidas. Forma misteriosa no verdadeiro sentido da palavra - para mim é um mistério! Estou a milhas de perceber os intrincados mecanismos pelos quais ele consegue fazê-lo, mas acredito mesmo que o universo o faz de uma maneira ou de outra e não me cabe a mim descobrir como.
Colhemos mesmo o que semeamos. Temos mesmo, nada mais, nada menos, do que aquilo que merecemos. E estas questões karmicas não me fascinam ao ponto de investigar o assunto (nem sequer em part-time). Ultimamente, tem havido um rebuliço. Os períodos extraordinariamente bons disputam o espaço com as coisas menos boas a uma velocidade incrível. Quase nem tenho tempo de gozar um momento para estar já a viver o oposto. Vá-se lá saber porquê, que isso para mim também é um mistério, e o melhor é não perder muito tempo com questões que me queimem muitos neurónios.
Itálico
A verdade é que há muitas novidades, mais do que aquelas com que consigo lidar e nem dá tempo para estar a divulgar. Mas, assim de forma resumida, limitando ao essencial, e por ordem aleatória de importância:
- estou cada vez mais forte, porque vou ao ginásio todos os dias;
- ontem chegou a pequenita S., assistente incompetente (para prestar auxílio pessoal e profissional);
- eu tenho TUDO;
- a CML está a descobrir o outro lado e a adorar, e a fazer um brilharete lá na mãe FEP, e eu cheiiiiinha de orgulho;
- o fim-de-semana em nãoanda (citando o meu caríssimo Z.) foi de chorar - por mais, nalguns sentidos; chorar (só), noutros;
- SUKUYANGUE - OMG, em Umbundo (obrigada Z.);
- tenho produzido como se não houvesse amanhã, o que é bom, mas ainda assim tenho que comer muita sopinha para chegar ao objectivo, o que é mau...
- hoje um dos meninos novos faz anos, por isso há festarola;
- continuo sem tempo para quem mais o merece (shame on me);


- e voltando ao assunto do início, quase um ano depois, depois de barafustar contigo porque te esqueceste de mim (puro ciúme porque falaste do outro menino e de mim não), esqueci-me eu de ti... shame on me, again... logo de ti, que és o number one e não merecias! Parabéns, sim!
Espero que toda a gente tenha o bom senso de não te impingir uma daquelas ideias pré-fabricadas tipo "já está na altura de ganhares juízo", porque sei quanto foges à regra e acredito que assim é que vais ser feliz. És anormal e eu gosto, por outras palavras!

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Hoje o dia foi produtivo.

Conferi coisas. Imprimi relatórios. Redigi propostas. Marquei uma viagem. Planeei o fim-de-semana. Comprei o bilhete. Reuni documentos. Falei com a mom. Completei trabalhos pendentes. Mandei recados para a vó. Conheci gente nova.
Lembrei-me de coisas de que me tinha esquecido. De que nunca me tinha esquecido.
Senti-me bem com o meu trabalho.

hoje o dia foi produtivo!



[se me leres, nina, parabéns para ti... esqueci-me na segunda, mas lembrei-me hoje]

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

novos capítulos

É demasiada informação para eu processar assim!!!

Primeiro porque não estou habituada a coisas assim: novos capítulos que não fui eu que desencadeei e sobre os quais não tenho qualquer tipo de controlo. Concretizando, os meus meninos foram! Quem me lê desde o início, sabe. Foram os meus companheiros por quase um ano. Vivemos juntos aqui este tempo todo. Foram muitos mata-bichos, muitos almoços, muitos jantares, muitas fotos da varanda, muita pastelice no sofá, muita cumplicidade, muita parvalheira, muita mimalhice, muito corta-na-casaca, muitos coisos de chocolate, muita gargalhada! Muito tudo para se esquecer assim, de um dia para o outro, e tentar começar outro episódio com duas pessoas novas. Mais dois que não conheço e com uma responsabilidade acrescida - é que eu agora já tenho um ano de experiência, e sinto-me na obrigação de os adoptar!

Por outro lado, hoje vi novidades noutro sítio. Novidades de pessoas que estudaram comigo. Pessoas que estão pelo mundo fora também, que seguiram as suas vidas e que mudaram. Uns mais, outros menos, mas todos mudaram, todos têm novos objectivos, uns continuam juntos, outros separaram-se. E é sempre um choque receber notícias destas! De gente que se casa, de gente que tem filhos ou vai ter! É lindo ver estas coisas, mas não deixa de ser um choque! E está tudo a mudar!


mas duas das minhas muletas foram, e ainda não sei se sou capaz de caminhar sozinha...

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

57 anos

Pensei em falar no simbolismo do número, mas tive demasiadas dúvidas. Devo conjugar as interpretações do 5 e do 7 ou fazer 5+7=12=1+2=3? Ou usar os dois métodos e interpretar todos - 3, 5 e 7? E que raio pode ter verdadeiramente a ver a simbologia dos 3 números com mais um ano na tua vida? Além disso, já viram o que significa? Trindade, aventura e perfeição? Como interpreto isto verdadeiramente e encontro uma forma simples e bonita de te lisonjear com base nisto?

Então pensei em falar na tua vida. Como cresceste no pior dos contextos. Qual era o tua alcunha em criança (a ceboleira). Como tinhas uma personalidade irrequieta e descontraída. Que eras maria-rapaz, que corrias atrás dos outros miúdos, eras uma bully! Como te foste tornando feminina, independente, determinada, reivindicativa, forte e decidida.
Depois pensei como são surpreendentes as coisas que me fazem rever em ti. Esta força (às vezes imparável) de origem desconhecida, a proximidade que o coração tem da minha boca, o descaramento e a capacidade de acreditar e de fazer tudo por aquilo em que acredito. Mas também a vulnerabilidade. Partilhamos esta sina de levar a peito tudo à nossa volta e não ser capaz de o manifestar. De nos sentirmos frágeis e o esconder de todos, como ninguém.
Isso só se sabe porque nos conhecemos para além das palavras, além do carinho e muito mais longe que os abraços, mesmo daqueles que só são possíveis entre mãe e filha.

Mas isto é tudo uma piroseira!

E se não fosse piroso, dir-te-ia o quanto te adoro. Gritaria o quanto te amo para todos ouvirem. Se não fosse muito piroso, dizia-te o quanto te admiro e que, ao contrário do que aquelas pessoas dizem, adoro o facto de não teres estudado, adoro o facto de seres apenas uma empregada doméstica. Adoro o facto de seres humilde, verdadeira e cruelmente honesta.
Se não fosse mais piroso que um coelho de pelúcia abraçando um coração oferecido futilmente no dia de S. Valentim, falava-te do orgulho que sinto por tudo o que representas.
Se não fosse muito piroso, lamentava todos os dias que sofreste para me teres aqui, para teres a vida que tens. Lamentava as tuas cicatrizes, lamentava as tuas dores e as tuas mágoas.
Se não fosse assim mesmo piroso, lamentava tudo o que é mau, mas agradecia por tudo. Porque isso faz de ti a mulher que eu quero ser quando for GRANDE.
E se não fosse um exagero, até dizia que nada do que eu faça vai alguma vez ser suficiente para me sentir tão boa como tu.


Mas como é tudo muito piroso, vou apenas ligar-te daqui a pouco e dizer. "Parabéns mãe!"

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Eu sei, eu sei.... fez um ano, ontem, nem comemorei, nem escrevi... há dias assim...

Até ia escrever sobre as minhas inquietações há um ano atrás, as certezas e as incertezas, e fazer um belo paralelo com o momento actual, as conquistas e os redondos-e-atribulados-falhanços, as (in)definições de hoje e as previsões para o futuro.
Mas não me apetece! Porque isto é um vira o disco e toca o mesmo. Mudam-se os tempos, os lugares, as pessoas, mas mantêm-se as dúvidas, as paranóias, as esperanças e os desejos... vão variando é os motivos.
Cresci em sentidos e aspectos diferentes dos esperados, mas cresci! Boa! Palmas para mim, e para todos os que me levam à boleia.




[still, aviso quando souber quem sou]

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Note to self

Pessoas peritas em avaliação de carácter... elas andem aí!

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

so it seems

Parece que é digno de nota, e a pedido de muitas famílias aqui fica o registo.
Há coisa de 3 semanas fui entrevistada para a rádio Morena Comercial, em directo, e falei sobre auditoria financeira... ou tentei...
A política, como sempre, fala mais alto. Aquilo que podia ter sido uma boa oportunidade de divulgar e desfazer mitos em torno do papão-auditoria revelou-se uma mera tentativa de tirar nabos da púcara com a pessoa errada. É que ultimamente, esta história da auditoria tem sido notícia por estas bandas pelas mais polémicas razões - boatos de auditorias movidas por suspeitas de desvio de fundos, corrupção, abuso de poder e coisas afins. Coisas más.
E uma mocinha apanhada no meio do tiroteio, pressionada a tomar partidos!

não-valá-pena!



Já na última semana a novidade fica-se pela ponte. A ponte 4 de Abril, na Catumbela, foi finalmente inaugurada na 5ª-feira (feriado pa nós... yey!!!). Obviamente não fui à cerimónia, que eu sou alérgica a multidões, mas já fiz a travessia no fim-de-semana e fiquei com os registos fotográficos, mas esqueci-me de trazer, por isso as imagens ficam para o próximo post!

terça-feira, 8 de setembro de 2009

É daquelas coisas que me arruma por completo. É um murro no estômago de cada vez que me lembro. Sempre que penso que ela, um dia, vai desaparecer. Tenho uma crise de ansiedade sempre que penso nisso e é difícil conviver até com essa hipótese. No dia em que a vez dela chegar, não me imagino a chorar, não me imagino a gritar, não me imagino a arrancar cabelos, não me imagino a irar-me e destruir tudo à minha volta. Imagino a apatia. Imagino o vazio. Imagino o abandono. Imagino a impossibilidade - de seguir e de sorrir.
Hoje foi a vez dessa tua pessoa e não há nada que possa dizer que tu não saibas já. Lamento.
E gostava de estar aí para te abraçar, fizesse um pequeno abraço toda a diferença.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

novidades e afins

Ontem fui ao ginásio!!!
Decidimos mexer-nos finalmente, e apesar de o ginásio que foi a nossa primeira escolha continuar fechado, fizemo-nos à vida e fomos pó outro - um pouco mais caro, mas tem pinta! Tem uma vantagem até (para mim, que sou recém-nascida para este novo mundo do workout): um treinador a dizer-me o que fazer! Perfeito!

... and now for something completely different... (os afins)

(mas continuando na onda da lamechice da semana passada!)
Hoje a minha M. faz anos!!! E a minha M. é uma das minhas pessoas preferidas!
Se há gente genuína no mundo, é ela. Palerma como só ela, é verdade, mas isso somos todas. É uma petite chanteuse e dona da melhor gargalhada do mundo (eu sei, eu conheço todas).
Partilhamos a capacidade de ver a verdade nua e crua e de a assumir como tal, ao mesmo tempo que pintamos a realidade com cores impossíveis. Pois é, somos complexas...
E ela gosta de cães e de gatos como eu... e de todos os animais fofos que não voam!
E tem as mãos mai-bunitas do mundo! E as unhas mais perfeitinhas do mundo!
E é uma mulher viajada e eu invejo-a milhões por isso.
E por isto e muitas mais coisas que não posso estar agora a enumerar, porque eu até trabalho e tudo, é que lhe desejo aqui um bom dia com alegria. E coisas boas com fartura (ou com outro doce qualquer... pastéis de belém, ou crepes, ou cheesecake, como preferires! hoje és tu que mandas!).